Saúde

O QUE TORNA O SOL TÃO PREJUDICIAL?

Todo mundo já ouviu falar dos males do sol. Alguns amam passar horas debaixo dele, pegando um bronzeado e outro fazem de tudo para fugir dele. Mas porque o sol é tão prejudicial?

Duas palavras: radiação ultravioleta, também conhecidas por sua popular sigla (UV).

Este tipo de energia é tão prejudicial para a nossa saúde que o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos e a Organização Mundial de Saúde (OMS) declararam que era cancerígeno , especialmente da pele (não pode penetrar profundamente nos tecidos e órgãos do corpo). Dependendo do comprimento de onda da radiação UV emitida, ela pode ser classificada como radiação UVA, UVB ou UVC.

A radiação UVA, da A, que representa o envelhecimento, tem comprimentos de onda entre 320 e 400 nm que podem penetrar nas camadas mais profundas da pele. É responsável pelo envelhecimento, câncer de pele e rugas. Uma vez que a camada de ozônio quase não absorve, a radiação UVA representa 95% da radiação UV que atinge a Terra.

A radiação UVB , cujo B representa a queima, tem comprimentos de onda entre 320 e 290 nm e é principalmente preso pela camada de ozônio. Representa os 5% restantes da radiação UV que atinge a Terra. A radiação UVB é responsável pela produção de vitamina D em nossos corpos, mas a exposição excessiva a esta radiação causa danos à pele, principalmente a camada superior, resultando em câncer de pele, queimaduras solares e até cataratas. Nos últimos anos, devido ao esgotamento da camada de ozônio , mais raios UVB atingiram a Terra e esses aumentos estão correlacionados com o aumento do câncer de pele.

Por fim, a radiação UVC , que tem os comprimentos de onda mais curtos entre 290 e 100 nm, e, portanto, a energia mais alta, é a mais prejudicial das três radiações. Felizmente, esta radiação é bloqueada quase completamente pela camada de ozônio.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *